Para ouvir, clique Play:

Host, Boss, Timoneiro, Contínuo, Editor-Chefe, Asno Volante e Office-Boy:  Carlos Del Valle

Convidados deste programa:

Sérgio Dias, do Boteco F1

Valesi, do Melhor Blog sobre Nada

Joshué Fusinato, autor de vários artigos no Podcast F1 Brasil

podcast patreon 550

Grupo do Podcast F1 Brasil – Roda com Roda no Facebook

GRID:

Carlos Eduardo dos Santos Galvão Bueno, 64 anos, nascido no Rio de Janeiro, torcedor do Flamengo. Estreou na Globo em 1981. Começou a narrar F1 em 1980, na Bandeirantes, no único ano em que a Globo não transmitiu a F1 na história.

Flávio Magliari Gomes, 50 anos, nascido em São Paulo. Trabalhou de 1986 a 1994 na Folha de S. Paulo. Ficou de 1994 a 2001 na Jovem Pan, e de 2002 a 2005 na Rádio Bandeirantes, sendo que em 2005 parou de viajar. De 2005 a 2013 ficou na ESPN, e atualmente é da Fox Sports (mais sobre a transição ESPN / Fox no decorrer do programa).

BATALHA:

Rodada 1. Conhecimento de Automobilismo
Vencedor: Gomes.
Galvão 0 x 1 Gomes

Rodada 2. Carisma
Vencedor: Galvão.
Galvão 1 x 1 Gomes

Rodada 3. Nacionalismo / Pachequismo
Vencedor: Gomes
Galvão 1 x 2 Gomes

Rodada 4. Influência
Vencedor: Galvão
Galvão 2 x 2 Gomes

Rodada 5. Meio de transporte (cavalo e Accord contra Vemaguete):
Vencedor: Gomes
Galvão 2 x 3 Gomes

Rodada 6. Futebol
(Galvão 3 x 3 Gomes)

DESEMPATE ENTRE OS PODCASTERS:
2 x 2

DESEMPATE FINAL:
Agora é com você, amigo ouvinte! Solte o verbo aí nos comentários e nas redes sociais!

Vídeo Flávio Gomes onboard em Interlagos com o Lada:

Grupo do Podcast F1 Brasil – Roda com Roda no Facebook

GASOLINA-STORE-BANNER-JPEG

Email: contato@podcastf1brasil.com.br

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter e no Instagram

Estamos também na TuneIn Radio e no Stitcher, além do iTunes

Música podsafe / Creative Commons: Brother Love e American Heartbreak

Feed do Podcast F1 Brasil: http://feeds.feedburner.com/PodcastF1BrasilPodcast

Categorias: Podcast

Carlos Del Valle

Podcaster. Imerso em Fórmula 1. Nada mais lógico do que um podcast sobre Fórmula 1.

55 comentários

raphaelwilker · 29 de junho de 2015 às 0:52

Piquet Wins !

    Jose costa Júnior · 1 de julho de 2015 às 7:42

    A única coisa a se comparar entre FG e GB, é o tamanho do EGO!

    Roberto Fróes · 1 de julho de 2015 às 18:07

    F1?

raphaelwilker · 29 de junho de 2015 às 0:55

Com ajuda de Senna :p

joão Vítor · 29 de junho de 2015 às 1:02

deveria ser sobre a FE

Ronei Lopes · 29 de junho de 2015 às 1:36

Piquet, Senna, Prost….essa Formula E tá mais interessante que a F1, será???…rs…

Cristiano Seixas · 29 de junho de 2015 às 6:32

O FG conhece e escreve muito bem, na minha opinião o melhor relato sobre Imola1994 foi escrito por ele, está na anuário Auto Motor do Reginaldo Leme na edição do fatidico ano, mas na era da internet e redes sociais ele perdeu a mão transformando-se em uma maquina de criticar ferozmente tudo e todos.
O Galvão está na historia , impossivel não se emocionar com suas narrações em Interlagos 91 e 93, Suzuka 88 ou Hockenheim 2000, mas sua saga pachequista vem desde os primordios, exemplo GP de Monaco de 85, quando o Senna fez o melhor e voltou para a pista andando mais lento atrapalhando Michele Alboreto, Niki Lauda e s não me engano Keke Rosberg, segundo o ilustre narrador não houve nada de errado, apenas o brasileiro cumpriu ordens da equipe ao voltar à pista.

Jordan Bandeira · 29 de junho de 2015 às 6:41

Essa é difícil… mas ainda fico com o Galvão pela emoção que ele costumava transmitir durante as corridas. Posso citar algumas de que eu lembro: Brasil 93, Malásia 99, (que ele ficou falando o tempo todo que se o Senna tivesse no lugar do Hakkinen, Schumacher não o seguraria, blá blá blá) Alemanha 2000, etc. Isso sem contar a década de 80, quando o Galvão era, digamos, mais sóbrio na sua narração.

Então, o placar é:

Galvão 3 X 2 Gomes

Andraski · 29 de junho de 2015 às 8:37

Nem em um podcast sobre F1 eu fico livre desta merda de futebol maldito!

Thiago Lemos · 29 de junho de 2015 às 11:08

Rodada 3. Nacionalismo / Pachequismo
Vencedor: Gomes

hein??????????????????
Tá errado isso ae!!!

Parabens, foi bem legal

    Joshué Fusinato · 29 de junho de 2015 às 11:21

    Tá certo. O que fosse menos Pacheco ganhava, nesse caso!

Carlitos Massarico · 29 de junho de 2015 às 11:53

Direto no ponto o papo sobre estes ~”monstros sagrados” do Jornalismo automobilístico brasileiro. E o mais legal é que vocês foram até o ~”limite extremo” e seguraram ~”na ponta dos dedos” para não cair na tentação de tacar umas boas pedras, como fazem os xiitas.

O Galvão tem um ponto só pela nostalgia. Já foi um ótimo narrador, hoje está gagá mesmo. Fala merda, mas isso é até engraçado para quem tem senso de humor. Ele tinha tudo pra ser uma figura mais respeitada hoje, afinal ele realmente tem contato com os peixes grandes nos bastidores. Mas, ao invés de estar lá pelo esporte, acho que ele está lá pelo exibicionismo mesmo. Aquela velha história:
“Ontem estava tomando vinho com o Regi, ~”meu amigo” Bernie, ___________ (insira aqui algum piloto e/ou chefe de equipe)…” Porra, quando começa essa lenga-lenga é de foder.

O Flávio tem um ponto pelo conhecimento de causa. Acho que tem uma galera que não gosta dele pelo jeito “estrelinha” e pelas opiniões fortes. A turma adora pegar no pé dele quando escreve alguma besteira e ele é do tipo que não se importa em acumular inimigos na internet. Mas, no fundo mesmo, o cara manja. Ponto.

Enfim, meu voto vai pro Flávio. Porra, o cara achou a primeira Jordan do Rubinho abandonada no quintal de um castelo no Rio de Janeiro. Hahaha

    Carlos Del Valle · 30 de junho de 2015 às 15:37

    Belo voto! Eu assisti esse do Indiana Gomes e os Caçadores da Jordan Perdida 🙂

Tiago Oliveira · 29 de junho de 2015 às 12:12

Po, achei que iam falar da Formula E!

Tb nao entendi pq o Galvao concorre com o Flavio Gomes. Escrevendo eu prefiro o Gomes, narrando (algumas coisas) eu prefiro o Galvao.

Mas se é pra desempatar fico com o FG, afinal ele torce pra um time GRANDE/HERÓICO (SIC Herr Del Valle), a nossa Lusa.

Gus Fernandes · 29 de junho de 2015 às 12:28

Apesar de ser um infortúnio narrando a F1 hoje em dia, é impossível pensar no Galvão e não lembrar das grandes narrações dele, principalmente na F1. Fora que ele é um dos poucos que ainda mantém a F1 viva na TV aberta. E eu também já visitei uma das vinícolas que produzem o vinho do dele, aqui no norte da Bahia. É um bom vinho até.
Então, Galvão > Flávio Gomes

Raphael Wilker · 29 de junho de 2015 às 13:19

Programa show de bola, você me fizeram valorizar o Galvão.
Galvão pode não ser petrolhead, mas ele é um petroldad 😛

#teamGalvao.

allantorres · 29 de junho de 2015 às 17:05

Flavio Gomes: temperamento e conhecimento de causa de piloto.

André Garcia (@andregarciaa) · 29 de junho de 2015 às 17:52

Fico com Galvão, afinal foi com o Galvão que a maioria começou a curtir a F1

Gosto do Gomes tbm, apesar de sua arrogância no twitter acho os comentários dele interessantes e um cara muito inteligente e de ótimo texto. No Fox Sports acompanho pouco o trabalho dele mas na ESPN gostava muito do programa Limite junto com o Mauro Cesar e o João Canalha. o quadro “Indiana Gomes” era sensacional.

Infelizmente a emissora hoje parece que só se preocupa com futebol e da pouco espaço pra automobilismo e outros esportes.

Flavio Gomes · 29 de junho de 2015 às 19:05

Tô besta de ver como o pessoal do podcast sabe da minha vida, e como presta atenção em detalhes — como chamar os carros da Toyota de Corollões, ou mesmo minha admiração por Bernd Rosemeyer… Sem ironia alguma, muito legal. Me sinto lisonjeado. MAS MEU CARRO NÃO É UMA VEMAGUET! Meu carro é um DKW! Vemaguet era o nome da perua DKW feita pela VEMAG. Tenho duas, inclusive. No mais, obrigado pela deferência. Acho meio exagerado me comparar com o Galvão em qualquer coisa, mas não deixa de ser algo que faz bem para o ego. E é claro que discordo da minha derrota no item futebol. A Portuguesa é bem maior que o Flamengo.

    Carlos Del Valle · 30 de junho de 2015 às 15:34

    Por essa eu não esperava kkkk Foi mal pelo lance do Vemaguet, justo eu que era fã do #96… Procurei um vídeo em que escapa a bola do câmbio em plena descida do lago, mas não achei!

    Jordan Bandeira · 2 de julho de 2015 às 18:36

    Concordo com você Flávio. A Portuguesa é muuuito maior que o Flamengo. (Sem ironia)

rubens.jpg (@rubensGPnetto) · 29 de junho de 2015 às 19:46

Entre o Gomes e o Bueno eu fico com o Valesi….

Minto, fico com o Galvão, desculpa Valesi.

Sobre o Galvão, sempre admirei a forma como ele executa o trabalho e gosto das narrações dele, sim por incrível que pareça, do qual sempre estranho e não gosto muito quando ele é substituído, contudo, eu reconheço que as vezes ele é um mala, exemplos, a eterna briga com os rádios dos pilotos/equipes, os cortes secos e briguinhas com os demais comentaristas, erros e trocas de nomes de equipes e pilotos, porém o Galvão ainda transmite com emoção, quando possível ele sabe utilizar toda a sua bagagem para ilustrar a narração ou trazer uma informação ao público, infelizmente, hoje ele não é o mesmo Galvão das décadas de 80 e 90 e meados do inicio que vem antes do meio do começo que inicia os anos 2000, entendeu?

Nota: Galvão faz uma excelente parceria com o Reginaldo Leme, quando tratar-se de Galvão na F1 temos ressaltar essa parceria com o Reginaldo Leme e nos últimos anos com também com o Burti, que ambos completam e bem as narrações do Galvão.

Dica para quem gosta das transmissões da Globo apenas pelo Galvão e demais coleguinhas: streaming, rádio Bandeirantes (ás vezes também)-(copiei o Fusinato), app da F1 e twitter, essas ferramentas ajudam e muito,

Enfim é isso, sobre o Flávio Gomes, eu só digo que ele é um babaca.

XoXo

Valesi · 29 de junho de 2015 às 21:29

Ao final da primeira rodada de pênaltis, após um emocionante 3×3 no tempo regulamentar e um modorrento 2×2 na prorrogação, nosso placar está assim:

– Raphael Wilker, João Vítor e Ronei Lopes chutaram prá fora;
– Cristiano Seixas, sempre enciclopédico, #teamGalvão;
– Jordan Bandeira, saudosista, Galvão também;
– Andraski se recusou a bater o penal e levou um amarelo por reclamação;
– Thiago Lemos largou o time para ser auxiliar do árbitro;
– Carlitos Massarico (isso é nome de artilheiro!), sem frescura, converte o primeiro para o #teamGomes
– Tiago Oliveira, com este sobrenome germânico, só poderia jogar no time do Flávio;
– o enólogo Gus Fernandes, converte para Galvão;
– Raphael Wilker volta (ô, juiz, não tá vendo isso não?) e desta vez manda pro fundo das redes: mais um para Bueno;
– AllanTorres, preciso, no meio do gol: Gomes;
– André Garcia marca para Galvão, mas respeita o adversário e deixa a porta aberta para uma possível transferência;
– Pênalti é tão importante que tem que ser batido pelo presidente do clube. Flávio Gomes (is this real?!), apesar da sutileza no chute e respeitando o adversário, é claro. Ponto para ele.
– Rubens vota em mim… não, péra… droga, ele virou a casaca no último minuto. Gol de Galvão.

Então, se não DelValleio nas contas, o placar atual dos penais está

Galvão 6 x 4 Gomes

Será que ainda tem batedor por aí????

Sra. Flowers (@DehFlowers) · 29 de junho de 2015 às 23:49

Parabéns meninos vocês sabem conduzir muito bem o programa!

Meu voto vai para o Galvão, mesmo ele sendo a causa da minha dor de cabeça em alguns domingos quando resolve interromper o rádio, cortar alguém, não deixar a gente escutar o barulho dos carros etc…
Mas mesmo assim ele tem o direito de dar os pitacos dele, afinal já tem muito tempo que ele dedica a vida dele para esse esporte e talvez se não fosse essa garra de ir atras a gente não teria a transmissão que temos hoje, ele tem muito conhecimento e ele fica muito ”afobado” para mostrar que ele sabe, esse é um problema dele.

Também escolho ele por ser a voz que eu reconheço desde pequena e ele é uma referencia na tv, na verdade eu gostaria que outros comentaristas se espelhassem as vezes no jeito que conduz as coisas, confesso que mesmo reclamando das coisas que ele faz, quando não é ele que vai narrar a F1 eu sinto falta, eles solta algumas perolas, fala da época que nem nascida eu era, e história é história… Os bordões dele são perfeitos e do nada mesmo que para tirar sarro você acaba usando, prova de que mesmo você não querendo ele está impregnado nas nossas vidas.

A globo tem a suas falhas, como não passar mais o treino todo ( e eu sinto falta quando não posso assistir pela Tv paga) ou da vez que tentaram transformar em um esquenta, mas mesmo assim eles escutaram os fãs e mudaram essa parte.

Já o Flávio Gomes eu não gosto muito dele não, acho legal você ter uma opinião diferente da maioria, mas eu acho que ele exagera nas criticas dele e as vezes é meio bobo e quando você retruca uma opinião dele a aceitação não é muito boa, acho que as críticas mesmo quando construtivas não são bem aceitas por ele, não gosto de títulos muito polêmicos que ele usa para chamar a atenção só para causar borborinho mesmo sabendo que é assim que a internet funciona.

Não troco todas as interrupção do Galvão pelas criticas do Gomes.

    Carlos Del Valle · 30 de junho de 2015 às 15:32

    Concordo sobre o lance do Gomes ser às vezes meio radical, mas ele tem uma vantagem sobre o Gavião: senso de humor. Várias vezes, dei boas risadas lendo os textos do cara. Ainda tem alguns “bordões”, como Sapattos, Verme, Canguru Desolado etc. Nunca vi o Galvão fazer piada com nada

      Cristiano Seixas · 30 de junho de 2015 às 20:47

      A Globo jamais deixaria um dos seus ter o sarcarsmo do FG

      Jordan Bandeira · 2 de julho de 2015 às 18:44

      Hahaha. Isso sem contar as crônicas do Flávio sobre as corridas, onde os pilotos são chamados de Comandante Hamilton, Rosberguinho, Tião Alemão…

Rodrigo "Digão" · 30 de junho de 2015 às 23:57

cara cada um tem seus méritos e defeitos, o FG tem um problema que eu acho sério que é falar mal daquilo que vende, no caso falo da F1. Mas o Galvão já ta a um tempo fazendo transmissão de corrida como se o público fosse leigo, vai ver porque F1 na tv aberta está fadada ao fim….
De toda forma meu voto vai pro Flavio Gomes. Porque pagar a aposta de Penélope Charmosa para o mundo inteiro ver é coragem e também queria ter um lada.

Valesi · 1 de julho de 2015 às 6:35

Galvão 7 x 5 Gomes. Placar apertadíssimo.

Muchacho · 1 de julho de 2015 às 7:22

Não entendi o propósito da comparação….FG e GB são muito diferentes, como água e vinho. O FG é muito mais jornalista, já o GB é uma “celebridade global”, no pior sentido, faz o jogo do patrão, esconde nome de equipe de F1, coloca nome de cidade em time de volei, protege os amiguinhos piloto (por exemplo o Massinha- que eu sinceramente gosto bastante como piloto)….eu preferia o GB da TV Bandeirantes, se é que alguém ainda se lembra disso. As apresentações do FG na ESPN e agora na Fox são bem humoradas e muito enriquecedoras para amantes do esporte, em especial automobilismo e futebol.

marcelonso · 1 de julho de 2015 às 7:52

FG escreve muito bem é verdade, mas no trato aos leitores (nos comentários) é um idiota completo.

Galvão não é nenhum docinho, mas não tem esse comportamento destemperado do FG.

Portanto meu voto é Galvão Bueno

Ricardo · 1 de julho de 2015 às 8:03

Não podemos nem comparar. O gomes eh um estrelinha sem noção, que escreve muito bem e conhece de automobilismo, mas que não tem QI suficiente para trabalhar no mundo digital atual.
Galvão mito.

Mauricio Maciel · 1 de julho de 2015 às 8:04

Excelente Podcast, para mim é empate pois cada um faz o melhor a que se propõem, convidem o Flávio Gomes para o Podcast ele parece ser uma pessoa bem acessível, quanto ao Galvão acho que seria mais difícil ele aceitar o convite.

Carlos · 1 de julho de 2015 às 8:24

O FG trata como idiota os leitores, quando esses não concordam com suas opiniões. Ele usa muito sarcasmo, mas se alguém faz o mesmo com ele, toma uma porrada estúpida dele. Uma pena pq ele tem conteúdo.
Galvão é um produto da Globo, no pior sentido da palavra. Mas a emoção que ele coloca nas narrações continuam imbativeis.
Galvão, longe.

Eduardo Martins · 1 de julho de 2015 às 8:38

Gostei muito do podcast, pois apesar deste sentido de comparação, foi realmente uma aula sobre dois dos maiores cabeças de gasolina que atuam em rede nacional. Acho justo o empate no programa e não sou louco em tentar desempatar, só mesmo parabenizar pelo excelente programa!!!!!

Rogério Calsavara · 1 de julho de 2015 às 13:08

Voto no FG. Pra mim o Galvão é torcedor demais e narrador de menos.

Calzado · 1 de julho de 2015 às 13:13

Como não gosto e não acompanho futebol, para tristeza do meu pai que foi goleiro profissional, o único contato que tinha com Galvão era aos Domingos na transmissão da F1, que foi até uma certa época interessante, depois ele mudou seu jeito de narrar e passei a não concordar muito com o que ele falava, não tinha outra maneira de assistir (tv a cabo não existia) ligava a TV, tirava o volume, ligava o radio e ouvia pelo radio. Baseado nisso voto no Flavio.

André Vieira Coelho · 1 de julho de 2015 às 15:51

O Galvão é ele muito bom ele é um dos maiores narradores do brasil junto com o luciano do valle ,já o flavio é um cara ranzinza que não sabe usar as redes sociais pra respeitar o seu público como deveria assim pelo fato que se pedir pra ele falar algo da corrida ele ja bloqueia na ignorância então eu voto no Galvão Bueno

Roberto Fróes · 1 de julho de 2015 às 18:45

Se eu tivesse saco para isso, iria enumerar aqui o monte de merdas que o GB fala e faz.
Tenho horror a ele e a maneira como faz suas detestáveis narrações – tanto de futebol quanto de corridas ou outros esportes.
É aquela história da Globo, vamos agradar a base – quantidade – e dane-se a qualidade.
A Globo – que deveria ser educativa – insiste em ensinar o povão a falar errado, como por exemplo: motor com tantas CILINDRADAS (o correto é motor com tantos litros/centímetros cúbicos de CILINDRADA), DESCULPA (o certo é ME DESCULPE), o mafioso italiano Tomazzo Buscetta – que na Globo virou BUSQUETA (a pronuncia correta seria “Buxéta”, mas o idiota ainda resolve acrescentar a isso não só as imbecilidades impostas pela Globo – como passar vários minutos seguidos a matraquear sobre futebol durante a corrida, e vice-versa – como também suas presepadas particulares.
Quem nunca o viu “adivinhando” o defeito do carro, ou pior, o que está se passando na cabeça do piloto?
Tem mané que gosta disso, “deixou de ver F1 porque o Senna morreu”, e por aí vai.
Alguém já assistiu no Youtube a entrevista do Piquet, em que ele fala sobre as “adivinhações” Buenicas, inclusive sobre ele mesmo?
Está perdendo…
Alguem se lembra do monte de asneiras que GB falou logo que o Senna morreu? A história do racha com carros alugados, devolvidos à locadora aos pedaços? E o GB emocionado com o Senna, tão bonzinho, autor dessa presepada?
GB não é nem nunca foi jornalista, ele é apenas um locutor, uma matraca incontrolável que fez sucesso junto às classes menos favorecidas – quantidade – e acabou se espalhando para quem tem mais discernimento, mas não o usa…
O pior de tudo é que, às vezes, não há outra opção.
A não ser deixar para ver depois, na Sportv.
Minha grande esperança é que esse chato de galocha se aposente logo!

    Carlos Del Valle · 2 de julho de 2015 às 9:13

    O Gomes vai gostar do domínio do seu email: dkw.com.br 😛

Ricardo Cardoso · 2 de julho de 2015 às 12:24

Mas comparar um narrador com um jornalista? Dá liga isso?
O Galvão pode ser o elo “emocional” com a F1, mas o Gomes tem meu voto por ser informativo.

Fabio M · 2 de julho de 2015 às 23:42

FG é mt escroto em alguns comentários e insinuações que faz, especialmente sobre o Senna que ele nitidamente não curtia como pessoa. Galvão 10 a 0 nele!!

Elcio Neto · 5 de julho de 2015 às 10:41

..

Frantisco · 5 de julho de 2015 às 11:27

Eu tenho um sério problema com as opiniões do Flávio Gomes fora do âmbito das corridas, acho que isso atrapalha minha avaliação.
Querendo ou não minha memória afetiva e o que me tornou fã de F1 foram vendo corridas narradas pelo Galvão Bueno. Meu voto vai pro GB.

helder do amaral oliveira · 11 de julho de 2015 às 11:22

Eu acompanho automobilismo desde 1972 quando tinham narradores como Geraldo José de Almeida e Tércio de Lima e o “Barão” Wilson Fittipaldi que narrou o primeiro título de Emerson Fittipaldi e sem falar em Edgard Mello Filho que conhece automobilismo assim como Luciano do Valle e também Jorge Curi famoso por narrar partidas de futebol na Rádio Globo e Rádio Eldorado curiosamente passava a narração para Waldir Amaral, mas Jorge Curi também sabia narrar a Fórmula 1 . Galvão Bueno quando era da Bandeirantes em 1980 transmitia a Fórmula 1 por lá e o sucesso dele veio para a Globo e ficou associado à Fórmula 1 como narrador principal , tanto que quando outros narradores transmitem a Fórmula 1 (Luiz Alfredo, Oliveira Andrade, Luiz Roberto e Cleber Machado) são um desastre . Tirando Galvão apesar de alguns tropeços mas compreensivel poir transmissão ao vivo , outros excelentes são Sergio Mauricio e Daniel Pereira (ele chega a chamar Sebastian Vettel de “O Senhor do Tempo” e Lewis Hamilton de “Seu Hamiltom” ,do Sportv , tanto que variações do videogame Grand Prix 4 são disponiveis com a narração do Galvão Bueno e a impressão que não é jogo e sim a transmissão da Rede Globo.
Agora péssimos narradores de automobilismo são Cleber Machado e Téo José estes trocam a 3 x 4 os nomes dos pilotos.

Alexandre Lemos · 23 de julho de 2015 às 21:46

Flávio Gomes. É só ler o relato sobre o Senna (morte) ou sobre o GP do Brasil de 2012 para saber que o FG é melhor.

José Vicente Ambrósio · 27 de outubro de 2015 às 19:05

Ótimo programa! Parabéns!
Só um detalhe: o bordão “Tá no filó!” pertencia ao saudoso Fernando Sasso. Silvio Luís nos brindava com “Olho no lance! Éeeeeeeee do NOME DO TIME! Foi, foi, foi ele, Fulano de Tal!”.
Abraços e parabéns novamente pelo podcast.

Deixe seu Comentário