Para ouvir, clique Play:

Host, Boss, Timoneiro, Contínuo, Editor-Chefe: Carlos Del Valle

1952

Sem a Alfa Romeo e sem a BRM que desistiu de participar, ficou somente a Ferrari como equipe grande. Para evitar que o grid ficasse magro demais, a FIA resolveu fazer o Campeonato Mundial ser disputado com regras de Fórmula 2, tendo grids bem mais cheios. Fórmula 2 significava motores de 2,0L aspirados. 

 

Sem Fangio: com a saída da Alfa Romeo, Fangio ficou sem carro para o campeonato, fez algumas corridas que não valiam para o Mundial, inclusive uma pela BRM em junho. Porém aconteceu o acidente grave em Monza, não no GP da Itália mas numa corrida extra-campeonato que disputaria pela Maserati Atravessou a noite dirigindo de Lyon até Monza, começou a corrida virado sem dormir, bateu na segunda volta, foi atirado pra fora do carro, múltiplas fraturas, incluindo coluna cervical. Passou o resto do ano se tratando na Argentina. Voltaria para a temporada 1953 pela Maserati. 

 

BRM V16

Motor 1,5L supercharged V16 (dois motores V8 de 750 cc conectados longitudinal)

Extremamente pouco confiável mecanicamente

Muito potente: enquanto Alfa e Ferrari passavam dos 300 cv com dificuldade, o V16 já chegou acima de 400 cv, chegando a quase 600 cv alguns anos depois. 

Faixa de potência muito estreita e brusca, facilidade em patinar e rodar. 

Usava compressor (supercharger) baseado no Rolls-Royce Merlin, do tipo centrífugo e não Roots. 

Suspensão de avião (barras hidropneumáticas). 

Tinha conseguido participar de apenas uma corrida oficial, o GP da Inglaterra de 1951, largaram em último sem treinar mas conseguiram um excelente quinto lugar com Reg Parnell. 

Para 1952, decidiram não participar e decretaram  a mudança do campeonato de F1 para F2. 

 

Maserati A6GCM

2,0L seis cilindros em linha

Equipe oficial disputou poucas corridas

Escuderia Bandeirantes: Chico Landi e Gino Bianco. Melhores resultados Landi oitavo em Monza e Bianco décimo-oitavo em Silverstone. 

 

Ferrari 500

Única equipe que tinha carro de F2 pronto para a temporada 1952. 

Quatroem linha, 2,0L

 

Cooper-Bristol T20

2,0L, seis cilindros em linha, motor Bristol inferior aos outros

Ainda motor dianteiro ( a Cooper que revolucionaria o automobilismo ao colocar o motor traseiro depois, sendo o primeiro carro campeão com motor traseiro em 1959). 

Belo pódio de Mike Hawthorn em Silverstone, em terceiro. Além disso mais quatro lugares e quarto lugar no campeonato de pilotos, nada mau para uma equipe estreante. 

O bom desempenho de Hawthorn garantiu uma vaga na Ferrari para o ano seguinte em 1953. 

 

1953

Desta vez com Fangio, felizmente recuperado do acidente e correndo pela Maserati. 

Primeira vez que uma corrida foi organizada fora da Europa, sem contar a Indy 500: o GP da Argentina abriu a temporada. 

GP da Argentina foi trágico: Perón ordenou portões abertos com livre acesso, e a multidão ficou à beira da pista em todo o contorno do circuito. Farina tenta desviar de um espectador que invadiu a pista e perde o controle, matando 13 pessoas (ou nove), no pânico que se segue, uma criança cruza a pista e também morre ao ser atropelada por um Cooper. 

 

Primeira vitória de um britânico na F1, de Mike Hawthorn no GP da França com a Ferrari oficial. Considerada uma das melhores corridas da história da F1, com uma batalha sensacional durante quase toda a corrida entre Hawthorn e Fangio, com Froilán González logo atrás. Na época as corridas eram de 400 km. 

Chico Landi fez duas corridas com Maserati, abandonou as duas. 

Via YouTube:

Siga-nos no Instagram, Twitter, Facebook e Spotify.

Nossos sinceros agradecimentos a nossos amigos que ajudam nosso projeto no PATREON e no PADRIM! Saudações a nossos patronos:

Leandro de Sousa
Pablo Ocerin
Fim,Do Grid (Bruno Shinosaki)
Euclides da Silva Domingos
Marco Santo
Alexandre Vieira Machado
João Lauriano
Mozart Moreira Lima
André Pereira
Juliano Franco
Will Bueno
Diego Proença
Ricardo Bunnyman

Você também pode colaborar com o Podcast F1 Brasil, com quantias a partir de 1 Obama/mês ou 3 reais/mês, os links estão logo abaixo!

Nosso Patreon:

podcast patreon 550

Nosso Padrim:

padrim vermelho

Curta nossa fanpage no Facebook

Siga-nos no Twitter e no Instagram

Estamos também na TuneIn Radio e no Stitcher, além do iTunes

Música podsafe / Creative Commons: Brother Love e American Heartbreak

Feed do Podcast F1 Brasil: http://feeds.feedburner.com/PodcastF1BrasilPodcastE

Categorias: Podcast

Carlos Del Valle

Podcaster. Imerso em Fórmula 1. Nada mais lógico do que um podcast sobre Fórmula 1.

Deixe seu Comentário