Para ouvir, clique Play:

Host: Carlos Del Valle

Convidados deste programa:

Valesi, do Melhor Blog sobre Nada

Sérgio Siverly, do Boteco F1

Eduardo Casola Filho

Neste programa estão incluídos os resultados da enquete dos Troféus, esperamos que você tenha votado, se não votou, Mônaco está aí…

Feedback dos ouvintes. Patetices habituais nas sobras de gravação no fim do programa. Aliás, patetices em quande quantidade. Se você é daqueles que vai logo até o final para ouvir as sobras de estúdio, vai notar que quase houve mais sobra do que material utilizável.

mal barca

  • Maldonado bate forte no treino de sábado, bate na corrida, stop and go, pontos na carteira etc. etc.
  • Massa erra no treino de sábado, faz corrida ruim e perde mais terreno para Bottas
  • McLaren fora do Top Ten
  • Vettel, corrida maiúscula após problemas técnicos no sábado
  • Grosjean, extraindo o que a Lotus tem a oferecer
  • Mercedes, quase 50 segundos à frente do terceiro colocado
  • Hamilton, assume a ponta do campeonato, tendo pontuado uma corrida a menos que Rosberg
  • Ricciardo, melhor do resto, primeiro pódio
  • Bottas, bom quinto lugar, sem erros e indo bem no campeonato

“Jogo de Duplas pela Cerveja” (Del Valle e Kvyat contra Valesi e Vergne):

DELVAS KVYAT VALESI VERGNE

Quem ouvir as patetices do final vai entender esta imagem:

Screen Shot 2014-05-12 at 1.58.57 PM

Cornetagem ferrarista no Mundial de Construtores

Troféus (Asno Volante, Melhor Piloto)

Relatório do GP da Espanha no Portal F1 Brasil.

Email: contato@podcastf1brasil.com.br

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter e no Instagram

Estamos também na TuneIn Radio e no Stitcher, além do iTunes

Música podsafe / Creative Commons: Brother Love e American Heartbreak

Feed do Podcast F1 Brasil: http://feeds.feedburner.com/PodcastF1BrasilPodcast

Para compartilhar:

Categorias: Podcast

Carlos Del Valle

Podcaster. Imerso em Fórmula 1. Nada mais lógico do que um podcast sobre Fórmula 1.

36 comentários

Andre Tachibana Kranz · 12 de maio de 2014 às 17:33

que agilidade do F1-Brasil – não deu tempo nem de conversar com os amigos sobre a corrida e já saiu o cast – obrigado!!!

raphaelwilker · 12 de maio de 2014 às 19:05

Segundo !
Like a Rubinho XD.

thyago acosta · 12 de maio de 2014 às 19:48

caros cabeças de gasolina! oh eu aqui novamente com a minha participação ácida e completamente desnecessária.

O problema do massa é fácil de se entender:
1. o carro o boicota pq o resolve mudar as configurações de madrugada sem avisar ngm
2. o pneu o boicota pq resolve desgastar só pra ele
3. o bottas o boicota pq usou o mesmo ajuste e foi mais rápido que ele
4. a williams o boicota pq sempre escolhe a pior estratégia do mundo
5. os competidores o boicota pq resolvem ser mais rápidos que ele
6. a pista o boicota pq tem curvas

no resumo, ele é bom. o problema sempre são os outros. tadinho!

e sobre o maldonado.. vcs nao entendem nada.. esse cara é O Escolhido! ele é o único que consegue alterar a matrix, mas ainda está em treinamento pelo Morpheus. hahahahahaha

http://pic.twitter.com/OOS2gqaMet

    Sérgio Siverly (@SergioSiverly) · 13 de maio de 2014 às 1:46

    Hahahahahahaha!

    Thyago, com certeza a Matrix pode alterar todas as peças do Massa também. Então, o Massa é o Smith e o Neo é o Maldonado? Ou vice e versa?

      thyago acosta · 13 de maio de 2014 às 18:05

      hahahahaha!

      Sérgio, na minha opinião o Massa é a mulher de vermelho:
      é atraente, chama a atenção, mas na hora H não passa de mais um elemento do treino. hahahaha..

      a que ponto chegamos? comparando F1 com Matrix.. pqp!
      hahahahaha

Luís Gustavo · 13 de maio de 2014 às 0:20

O nome da manobra de skate é “boardslide”. =)

Luís Gustavo · 13 de maio de 2014 às 0:44

Prezados… Não sei se houve alguma mudança de regra (e eu comi mosca por causa disso), se foi o meu sono que me fez ver coisas ou se realmente aconteceu. Mas eu juro ter visto o Magnussen abrir a asa traseira para se “defender” de alguém que o ultrapassaria (meu sono não me permitiu anotar qual a volta…), mesmo não tendo ninguém a menos de 1 segundo à sua frente. E, entre um cochilo e outro, arrisco dizer que isso aconteceu uma segunda vez, acho que com o Button. Então, eu gostaria de saber: alguém mais reparou nisso? Achei que o uso “deliberado” do DRS só era permitido em treinos… Se estou errado em algum aspecto, serei grato por me corrigirem. =)

    Carlos Del Valle · 13 de maio de 2014 às 1:09

    Luís, se ele estiver a menos de um segundo de um retardado-otário que vai tomar uma volta, ele pode abrir a DRS. Não teria sido isso?

      Luís Gustavo · 13 de maio de 2014 às 1:32

      Concordo, e eu pensei que era esse o caso. Mas me chamou a atenção o fato de justamente não ter ninguém menos de 1 seg à frente dele(s). O jeito agora é tentar rever a corrida pra tirar isso a limpo… (hehe)

    Sérgio Siverly (@SergioSiverly) · 13 de maio de 2014 às 1:50

    Eu vi também, Luís Gustavo. Eu acho que tinha um retardatário na frente que entrou nos boxes. Só pode ser isso. Se não, a FIA comeu uma senhora bola.

      Luís Gustavo · 13 de maio de 2014 às 22:09

      Se eu conseguir rever a corrida em algum link por aí e se for possível comprovar essa “maracutaia”, vou ligar no PROCON… (rs)

Bruno · 13 de maio de 2014 às 1:01

Até uma cervejaria mineira me dá mais orgulho do que o Massa,Aliás é fantástico degustá-la ouvindo um Podcast de altíssima qualidade como esse!

    Carlos Del Valle · 13 de maio de 2014 às 1:11

    Qual cervejaria é? Uma cerveja artesanal e um podcast são itens que realmente harmonizam de maneira harmonicamente harmoniosa 🙂

      Bruno S. Cury · 13 de maio de 2014 às 21:55

      A gloriosa Wäls,não sou um verdadeiro degustador mas achei de “boníssimo gosto”,sou mais do tipo “se entorpece e tem gosto bom tá valendo”!

        Carlos Del Valle · 14 de maio de 2014 às 1:00

        Essa é VIP hein, tá podendo… 😛 Eu sou meio iniciante, então meu objeto de estudo são Eisenbahn e Way, com bom custo-benefício…

          Bruno S. Cury · 14 de maio de 2014 às 15:22

          Ótimas essas,que nada a Dubbel é pechincha por ser a vencedora do World Beer Cup 2014,essa sim dá orgulho de ser brasileiro e a Way de ser paranaense,kkk

    Sérgio Siverly (@SergioSiverly) · 13 de maio de 2014 às 1:52

    Oh, Brunão! Aprazível teu comentário. Apareça sempre. Tem café na mesa além da cerveja também. Hehehehehehe.

Bruno S. Cury · 13 de maio de 2014 às 1:03

Em plena segundona de clima curitibanamente agrádavel.kkk

Carlos Alberto · 13 de maio de 2014 às 3:45

Amigos, gostaria de agradecer por esse podcast sensacional. Antes de iniciar a F-1 eu estava procurando um podcast pra ir ouvindo enquanto vou indo para a faculdade, e encontrei. Parabéns a todos pelo empenho em proporcionar aos amantes desse esporte uma analise excelente e bem humorada. Sucesso a todos vocês sempre e que continuem assim. Abraços

    Valesi · 13 de maio de 2014 às 11:17

    Poxa, Carlos Alberto, valeu! Espero que fiquem os contigo até a formatura!

Mateus Gomes · 14 de maio de 2014 às 3:46

Salve à todos cabeças de gasolina!!

Conheci o podcast nesse fds e simplesmente adorei! Um trabalho notável e muito bem feito, já ouvi os 6 últimos episódios e espero ansioso pelas crônicas de Mônaco semana que vem!
Meus parabéns a todos os envolvidos!

Forte Abraço

    Carlos Del Valle · 15 de maio de 2014 às 1:44

    Obrigado Mateus, isso significa que podemos solenemente ordená-lo um cabeça-de-gasolina legítimo! Cuidado no entanto com a intoxicação por hidrocarbonetos, que é altamente viciante para seres como você e como nós! 😛 A casa (ou a garagem) é sua…

Rafael Botter · 14 de maio de 2014 às 13:10

Saudações cabeças de gasolina!!!!!

Já baixei e ouvi o episodio de hoje e achei sensacional, parabéns pra todos que participaram do cast, foi d+ e muito divertido.

Del Valle, você já pensou em abrir um grupo no face para os cabeças de gasolina do f1 brasil?

Abraços.

    Carlos Del Valle · 15 de maio de 2014 às 1:42

    Amigo Rafael, há dois grupos de Facebook que nós participamos, o Oversteering e o Boteco F1. Por enquanto não estamos planejando um grupo específico do PF1BR, mas obrigado por compatilhar a idéia… 🙂

Marcos Yamada · 18 de maio de 2014 às 2:48

Saudações caros cabeças de gasolina. Mais uma vez parabéns pelo ótimo trabalho.

Falando das críticas às hegemonias massacrantes de uma equipe sobre as outras, creio eu que os casos de Schumacher/Ferrari e Vettel/Red Bull têm uma sutil diferença em relação às McLaren de 88/89, Brawn ou ainda à Mercedes de agora.

A raiz do ódio/desprezo não seria pelo fato de que nos caso dos pilotos (por coincidência) germânicos a equipe impediu o confronto direto ou os favoreceu em mais de uma situação? A ausência de alguém para competir em pé de igualdade também não dá essa impressão negativa aos dois (não é culpa deles serem tão bons também). Afinal, Rubens e Mark estão mais para Berger do que Prost. Só que Senna quando teve um Berger, teve que enfrentar um Mansell de Williams em sólida evolução.

Pode até soar meio grotesca e indelicada essa comparação, mas é uma impressão geral que talvez fica no imaginário geral do leigo, que são os que em sua grande maioria questionam as qualidades dos fantásticos alemães.

    Carlos Del Valle · 19 de maio de 2014 às 13:35

    Obrigado Marcos 🙂 , eu acho que no caso do Schumacher esse ponto negativo pode ser levado em conta, tanto pelo sistema dentro da equipe, como pela relativa “seca” de concorrentes, mas não é culpa dele né…

    Já no caso do Vettel, a Red Bull até tentou deixar Vettel e Webber em pé de igualdade na medida do possível, vide o campeonato de 2010. Mas o abismo entre Vettel e Webber é grande, e a coisa foi naturalmente indo em favor do alemão. Webber quase entregou a rapadura em 2010, e Vettel salvou a pátria…

    abraço

      Marcos Yamada · 19 de maio de 2014 às 13:48

      Concordo plenamente , Carlos. Essa impressão só ficou por causa do episódio do “multi 21”. Que a Red Bull não faz o que a Ferrari fazia é fato. Vide o Ricardão esse ano. Abraço e obrigado pela resposta.

Mateus Ferreira · 26 de maio de 2014 às 19:32

Pequena OBS.: GC não é usado mais, já que é um equipamento ligado na saída do vídeo na edição antes de ir para a edição final. Hoje são inseridos durante a edição, e não precisa de um equipamento específico, então está sendo chamado de “lettering” os textos que aparecem nos vídeos.

    Carlos Del Valle · 27 de maio de 2014 às 1:58

    Olha só, aprendi essa! Obrigado Matheus 🙂

Deixe seu Comentário