Para ouvir, clique Play:

Host: Carlos Del Valle

Convidados deste programa:

Valesi, do Melhor Blog sobre Nada

Sérgio Siverly, do Boteco F1

Eduardo Casola Filho,  da rádio Push to Pass

Patetices habituais com erros de gravação no final do programa.

Del Valle: GP da Áustria de 1976

  • Ano do James Hunt x Niki Lauda (filme Rush)
  • Corrida seguinte ao acidente de Niki Lauda no GP da Alemanha em Nurburgring Nordschleife, 15 dias depois
  • Niki Lauda ainda em estado grave no hospital
  • Ferrari boicotou a corrida, protestando contra o fato de James Hunt ter recuperado os pontos do GP da Espanha que havia perdido no tapetão

Escolhi por dois motivos principais:

  1. Primeira e única vitória da Penske na F1
  2. Última corrida no Österreichring sem nenhuma chicane, nem mesmo a chicane da curva 1, chamada “Hella-Licht” que foi instalada a partir de 1977. A curva 1 se chamava “Föst-Hügel”, era feita aproximadamente entre Mach 2 e a velocidade da luz. Um ano antes, em 1975, havia morrido nessa curva Mark Donohue, dos Estados Unidos, vencedor de 500 Milhas de Indianápolis.
  • James Hunt na pole, mas ultrapassado logo na largada e no começo por John Watson da Penske, e por Ronnie Peterson. Jody Sheckter estava na briga mas teve uma falha catastrófica de suspensão se acidentou com violência.
  • A partir de 1977: chicane Hella Licht na primeira curva. Esse traçado iria até 1987, ano clássico, vencida por Nigel Mansell, última corrida Österrecihring antes de ser reformado pelo Tilke para 1997.


Sérgio Siverly: GP da Áustria de 2003 

  • Tensão na estratégia da Ferrari após o escândalo de 2002

Largada mais fail da história! As duas Toyotas tiveram problemas:

Bomba de abastecimento dá problema com o carro do Schumi e se vê um princípio de incêndio (Schumacher fica ¨Like a Boss¨ no carro):

Motor do Montoya explodiu:

  • 100ª vez que Ralf e Michael correram juntos na F1
  • Vitória do Schumi com Raikkonen em segundo e Barrica em terceiro.

Eduardo Casola Filho: GP da Áustria de 1987

  • Corrida de despedida do traçado de Österreichring
  • Stefan Johansson oblitera um veado nos treinos livres, destrói sua McLaren e fica com dor de cabeça, mas vai para corrida normalmente

Imagens do acidente (cenas fortes) 

  • Piquet na pole, seguido por Mansell, depois Ferrari e Benetton, Senna e Prost na sequência

Caos nas largadas:

  • 1ª tentativa: Martin Brundle (Zakspeed) roda e leva com ele os dois carros da Tyrrell (Jonathan Palmer e Phillippe Streiff), além de problemas com Piercarlo Ghinzani (Ligier)

  • 2º tentativa: BIG ONE! Nigel Mansell (Williams) Se enrola com a embreagem e faz uma largada Webber-Barrichello (mesmo partindo antes da hora). Todo mundo tenta desviar pela reta estreita do circuito e a treta acontece. Envolvidos: Nigel Mansell, Stefan Johansson, Eddie Cheever (Arrows), Riccardo Patrese (Brabham), Alex Caffi (Osella), Ivan Capelli (March), Pascal Fabre (AGS), Philippe Alliot (Larrousse-Lola),Philippe Streiff e as duas Zakspeeds com Martin Brundle e Christian Danner

  • Michelle Alboretto (Ferrari), Ayrton Senna (Lotus) e Alain Prost (McLaren) largam dos boxes, com problemas mecânicos.
  • Phillippe Streiff não larga pois a Tyrrell não tem mais carro reserva
  • 3ª largada sem problemas
  • Williams disparam na ponta, Mansell na estratégia de boxes e dispara
  • As duas Williams sobram no pelotão
  • Mansell vence com 50 segundos sobre Piquet
  • As duas Benetton chegam na sequência, uma volta atrás dos líderes. Último pódio de Teo Fabi na carreira, chegando à frente de Thierry Boutsen
  • Indo para o pódio, Mansell se levanta e dá uma cabeçada na ponte do circuito. O Leão não aguenta de dor com o galo, nem na execução do hino, nem nas entrevistas do Niki Lauda e do Reginaldo Leme

Valesi: GP da Áustria de 2002

  • A corrida da infâmia.
  • Na sexta corrida do ano, sem haver disputa de pontos acirrada no campeonato, a Ferrari dá ordens para Rubens Barrichello deixar seu companheiro Michael Schumacher vencer a prova.
  • Constrangimento total no pódio – MSC chama BAR para o degrau mais alto, mas o hino que toca é o da Alemanha. O único brasileiro a ter vencido lá havia sido Emerson, em 72. Todos os outros pilotos cumprimentam Rubinho.
  • Por desrespeitar as regras do pódio (!!!) a Ferrari é multada pela FIA em um milhão de dólares
  • Gordito Montoya, que não tinha nada a ver com isso, terminou em 3º.
  • Grande panca entre Heidfeld, que perdeu o controle do carro e, voltando à pista, acertou a lateral do carro de Takuma Sato. O japonês não sofreu ferimentos, mas ficou preso no cockpit.

Última volta (com o “hoje não, hoje sim”) e pódio: https://www.youtube.com/watch?v=gqyz6WcxJD8
Rubinho fala sobre o acontecido para o Fantástico: https://www.youtube.com/watch?v=BGbaWCcCid0

Pancada entre Heidfeld e Sato:

Email: contato@podcastf1brasil.com.br

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter

Estamos também na TuneIn Radio e no Stitcher, além do iTunes

Música podsafe / Creative Commons: Brother Love e American Heartbreak

Feed do Podcast F1 Brasil: http://feeds.feedburner.com/PodcastF1BrasilPodcast

Categorias: Podcast

Carlos Del Valle

Podcaster. Imerso em Fórmula 1. Nada mais lógico do que um podcast sobre Fórmula 1.

16 comentários

raphaelwilker · 16 de junho de 2014 às 10:21

Hoje não ? Hoje não ?

Valesi · 16 de junho de 2014 às 10:32

Schumacher até saiu do coma pra ouvir este episódio!

    raphaelwilker · 16 de junho de 2014 às 11:34

    Aeeee !
    Não estava sabendo XD.

    Fernando Turatti · 17 de junho de 2014 às 7:51

    voltou só pra ficar de olho em se vocês falariam mal dele! HAHAHA

Andre Tachibana Kranz · 16 de junho de 2014 às 11:23

começando bem a semana

Sr. Deniro · 16 de junho de 2014 às 12:50

ai sim!

Rodrigo "Digão" · 16 de junho de 2014 às 13:37

O Montezemolo assegura esse podcast até 2020.

Joshué Fusinato · 16 de junho de 2014 às 13:40

Belo programa, como sempre!

Fica a dica pra mais uma EFEMÉRIDE clássica dos GPs da Áustria:

Em 1975, a corrida foi disputada em condições muito adversas. A chuva era tão forte que a prova foi interrompida na volta 29. E por conta dessa interrupção se criou um mito…

Vitorio Brambilla, “o gorila de Monza”, inexplicavelmente se segurando na pista encharcada com seu clássico March laranja patrocinado pela marca de ferramentas Beta, venceu a prova (única vitória na cerreira), e imediatamente após a bandeirada, aquaplanou e bateu em pela reta!

Video pra o deleite dos amigos:

    Cristiano Seixas · 19 de junho de 2014 às 0:23

    Cara ganhar uma corrida com uma March é um feito e tanto, lembrando que o dono da equipe era Max Mosley ….

Walescko · 17 de junho de 2014 às 0:23

A Prova de 2002 me fez perder um pouco o gosto pela F-1, voltando somente alguns anos depois a acompanhar o campeonato.

Fernando Turatti · 17 de junho de 2014 às 8:05

O episódio muito bom como de costume.
Sobre 2002, uma lástima… Mas sinceramente, será que o Schumi realmente concordou ou tinha como não passar? A atitude dele após a corrida foi MUITO no estilo “não ganhei”….

Tiago Oliveira · 17 de junho de 2014 às 14:41

Voces deveriam comentar o resultado do GP com Jodel ao fundo. Acredite se quiser em toda regiao do tirol as pessoas ouvem muito essas musicas. (https://www.youtube.com/watch?v=MP9_DnONseI)

Aliás, só falar “Österreich” ou qualquer outra palavra que tenha o umlaut “Ö” é um desfaio de uso de articulacoes vocais (fala o cara que mora na regiao do Rhön, e numa rua chama rhönstraße e que levou 1 ano pra conseguir falar o proprio endereco).

A corrida de 2002 pra mim foi a segunda mais vergonhosa da historia da F1, só atrás de Cingapura 2008, que foi algo que efetivamente mudou totalmente o resultado do campeonato. Na Austria ficou carimbado pra sempre a carreira do Michael, que ficou famoso por ser o unico campeao 7 vezes sempre pilotando com 2 carros. foi exatamente o que o Siverly disse, a F1 perdeu a vontade, por nao ser mais uma categoria pro melhor ganhar, virou uma categoria pro melhor ganhar, desde que seja o Schumacher. E eu virei anti ferrari, e anti piloto que vai pra ferrari depois disso.

Acredito que já devem ter lido o post do Bandeira Verde sobre as “efemérides” do Mansell (http://bandeiraverde.com.br/2014/04/11/top-cinq-no-pain-no-gain/). Alias voces poderiam convida-lo pra um programa.

O circuito em si é um dos meus favoritos, está cravado nos alpes (e perto da gloriosa cidade de Graz, como o Valesi foi esquecer?), nos simuladores é onde eu mais gosto de ficar fazendo voltas sozinho, sao retas curtas e curvas de precisao, e o circuito é bastante curto, estilo Interlagos, pra mim nunca deveria ter sido tirada do calendário.

O curioso dessa corrida é que os novatos sao os mais experientes, dessa galera que tá aí, os experientes correram pela ultima vez há 10 anos, o que deixa só o Alonso, o Räikkonnen, Button e o Massa, mas quem tem as coisas mais “frescas” sao só os que disputaram a WSBR, ou seja, apenas o Magnussen até onde eu me lembre.

As caracteristicas da pista sao um tanto peculiares, mas apontam pra Mercedes, o carro equilibrado mas que necessita de bastante aceleracao, algo como uma Malasia em miniatura.

abracos e parabens!

GEcKoDriver · 18 de junho de 2014 às 12:38

Essa corrida ficou marcada na mente dos brasileiros, não só pela opção da Ferrari de dar ordens a Barrichello, mas as vaias da torcida e a cara de Ralf Schumacher quando seu irmão chegou ao pits. Era a definição do que foi o fim dessa corrida. Até me surpreende a F1 voltar novamente a essa pista, coisa, acho eu, que nunca se repetirá em relação à Indianápolis, a não ser que role muuuuuito dinheiro na negociação de uma nova corrida por lá.

Cristiano Seixas · 19 de junho de 2014 às 0:20

Galera,

Não podemos esquecer do emocionante final de 1982 entre Elio de Angelis (Lotus) e Keke Rosberg (Williams). Foi a única vitória da Lotus entre 1979 e 1984.

Segue o vídeo com as ultimas 3 voltas com a narração em italiano :
http://youtu.be/N-fpWITA4uU

Rômulo Gonçalves Gomes · 19 de junho de 2014 às 1:59

Excelente programa, como sempre! Gosto muito desses especiais, por favor não parem de fazer, hehe.

Deixe uma resposta para GEcKoDriver Cancelar resposta