Para ouvir, clique Play:

piquet mansell

Host: Carlos Del Valle

Convidados deste programa:

Valesi, do Melhor Blog sobre Nada

Eduardo Casola Filho, da Estante do Casola

Nosso grande Sérgio Siverly, do Boteco F1, não pôde estar conosco mas esperamos retorno para o futuro…

PIQUE PODIO DOBRADINHA SENNA MANSELL

Especial Nelson Piquet – parte 1 – a Era Brabham (episódio 29)

Como Piquet foi parar na Williams?

  • Quase foi para a McLaren
  • Fator financeiro : teria Bernie se recusado a pagar mais?
  • Fator técnico: Brabham mal em 1985
  • Honda: teria ajudado a pagar o salário?
  • Honda: teria solicitado regalias de primeiro piloto para Piquet?
  • Honda: teria ficado emputecida com a perda do título de 1986?

1986

  • Frank Williams teria insinuado que Piquet seria primeiro piloto, mas com acordo verbal apenas
  • Acidente de Frank Williams, tetraplegia, Patrick Head, Nigel Mansell
  • Teria Piquet sido campeão em 1986 caso Mansell tivesse bancado o escudeiro?
  • Hockenheim 1986: Mansell avisa que vai fazer um pit stop, de repente Piquet aparece nos boxes, acaba com a estratégia de Mansell
  • Ainda na Alemanha, Keke Rosberg anunciou que esse era seu último ano na F1, citando 8 razões para esta decisão. No dia seguinte, Piquet deu uma entrevista dizendo porque continuaria pilotando um F1, e citando as mesmas 8 razões.
  • Hungaroring 1986: foi quando Piquet fez “aquela” ultrapassagem sobre Senna
  • Adelaide 1986: Mansell campeão, perdeu, Piquet campeão, perdeu, Prost campeão, não perdeu.

Final do GP da Austrália de 1986:

Piquet x Mansell 1986:

  • Poles: Piquet 2 x 2 Mansell (Prost fez 1, e Senna, 8!!!!)
  • Vitórias: Piquet 4 x 5 Mansell
  • Pódios: Piquet 9 x 8 Mansell
  • Abandonos mecânicos: Piquet 3 x 3 Mansell
  • Abandonos por acidentes: Piquet 1 x 1 Mansell
  • Piquet bateu sozinho no muro em Detroit, circuito de rua nunca foi a praia do Piquet
  • Mansell abandonou em Jacarepaguá quando foi mandado para fora da pista por Ayrton Senna, ainda na primeira volta. Também típico, curva dividida entre Senna e Mansell, sempre vai sobrar pedaço de carro para algum lado

PIQUET SENNA MANSELL PROST

1987

  • Motor Honda ainda mais eficiente, causando uma disputa particular entre os dois pilotos da Williams (Piquet x Mansell).
  • Ano do acidente em Imola na curva Tamburello (cortado por Sid Watkins, Piquet comentou a corrida pela RAI, ao lado de Clay Regazzoni).

Vídeo da pancada – com um Piquet brincalhão dando entrevista:

  • Visão prejudicada, dores de cabeça, mais lento que Mansell segundo o próprio Piquet
  • Análise comparativa entre os dois prejudicada pelo acidente
  • Piquet foi levando “de boa”, não venceu nenhuma das sete primeiras corridas, mas conseguiu estar empatado em pontos com Mansell após essas sete corridas: 30 a 30 (PPP: “Política de Pilotagem por Percentagem”).
  • Malandragem: Piquet frequentemente testava com uma configuração de carro que sabia ser ruim, pois estes ajustes fatalmente seriam passados para o carro de Mansell; minutos antes do treino ou da corrida, o brasileiro mudava tudo.
  • Oitava e nona corridas: Piquet venceu e Mansell não marcou pontos nem em Hockeheim nem no Hungaroring, como a vitória valia 9 pontos, Piquet abriu 18 pontos de vantagem.
  • Após o GP de Portugal, faltavam 4 corridas para o campeonato acabar, e Piquet estava 24 pontos à frente de Mansell.
  • Porém Mansell reagiu: venceu duas seguidas (Jerez e México), e diminuiu a vantagem para 12 pontos, faltando ainda duas corridas.
  • Mansell se acidenta em Suzuka ainda nos treinos para o GP do Japão, no setor dos Esses, teve uma contusão no dorso, com fortes dores nas costas, e teve abandonar o evento, confirmando o título para o agora Tricampeão Nelson Piquet. (Piquet 73. Mansell 61, Senna 57, Prost 46).

  • Piquet desenvolveu a suspensão ativa para a Williams, e venceu em Monza na primeira vez que ela foi usada, e apenas no carro dele; quando colocaram no carro do Leão, o inglês não se adaptou; tiraram então o equipamento dos dois carros.
  • Patrese substituiu Piquet na Williams em 88.
  • Piquet foi para a Lotus em 1988, levando consigo a Honda e deixando a Williams com o jabiracossauro motor Judd (também conhecido como “Judas”, todo mundo adorava malhar)
  • Diferença na ética de trabalho entre Piquet e Mansell. Piquet garagista, graxeiro, trabalhador, contra um Mansell talentoso porém dado a partidas de golfe em dias de teste.

Em 2012, nos 25 anos do tricampeonato, a Ford fez um comercial para o lançamento do Ford Fusion, em que os Piquet e Mansell fizeram uma disputa na pista do Velopark, no Rio Grande do Sul.

Vídeo com as quatro partes inclusas:

Entrevista dos dois na mesma época para o programa Linha de Chegada, no Sportv

 

Email: contato@podcastf1brasil.com.br

Curta nossa página no Facebook

Siga-nos no Twitter e no Instagram

Estamos também na TuneIn Radio e no Stitcher, além do iTunes

Música podsafe / Creative Commons: Brother Love e American Heartbreak

Feed do Podcast F1 Brasil: http://feeds.feedburner.com/PodcastF1BrasilPodcast


Carlos Del Valle

Podcaster. Imerso em Fórmula 1. Nada mais lógico do que um podcast sobre Fórmula 1.

24 comentários

Thiago Medeiros · 12 de agosto de 2014 às 1:49

Meu piloto brasileiro favorito. Com a majot riqueza de causos. Valeu galera, pelo programa. Ouvir agora.

Thiago Medeiros · 12 de agosto de 2014 às 1:51

*maior

raphaelwilker · 12 de agosto de 2014 às 1:51

Opá !
Estava ansioso.
Vamos ouvir e saber um pouco mais do Piquet.

Rodrigo "Digão" · 12 de agosto de 2014 às 2:46

Esse ai ta tava tão pronto pra ser lançado que to baixando ele no dia 11/08, mas ele foi lançado no dia 12/08!

    Valesi · 12 de agosto de 2014 às 13:36

    Falha na linha temporal detectada.

Joshué Fusinato · 12 de agosto de 2014 às 13:24

Foi falado no episódio sobre frases célebres ditas pelo Piquet, eis uma que eu li numa revista Quatro Rodas, da época em que ele se aposentou da F1:

Entrevistado no Jô Soares 11 e Meia, este perguntou o que o Piquet achava do congelamento das poupanças pelo Ministério da Fazenda. Piquet, que pilotava pra Benetton-Ford na época, soltou:

“Prefiro isso à congelar 2 cilindros do motor do meu carro, e eu ficar só com 6!”

Ótimo episódio, como sempre. Piquet foi um dos grandes e deveria ser mais reconhecido pelos Brasilinos Pachecos que temos por aqui.

GEcKoDriver · 12 de agosto de 2014 às 13:43

Sinceramente, quando penso o que era a F1 naqueles tempos sinto vontade de chorar. Que saudades daquela galera que passou por aqueles grids…

Eduardo Casola Filho · 12 de agosto de 2014 às 15:14

Para quem está esperando, alguns aforismos do Nelsão:

“Ser campeão do mundo não muda nada na sua vida, voce acorda no outro dia com fome, com dor de barriga, peida…”

Reporter – E então Piquet, vai correr para ganhar?
Piquet – Não, vou correr para chegar em 9º. (Outras versões dizem que ele disse, vou correr pra chegar em 14º, não sie qual é a verdadeira.)

Repóter: “E aí Piquet, vai ganhar hoje?”
Piquet: “Sou piloto, não sou vidente.”

“…Os carros da Ferrari são caixões sobre rodas…” (Nelson Piquet disse isso após a confirmação da morte do amigo e companheiro Gilles Villeneuve no GP da Bélgica).

“O negócio dele é garotões. Eu nunca o vi com mulher.” Sobre o gosto sexual de Senna.

“Senna é o melhor piloto? p.. nenhuma! Melhor é o Prost, que é tetracampeão” Perguntado se ele admitia que Senna era o melhor piloto da F1.

“O automobilismo brasileiro não poderia estar pior” Sobre a atual situação do automobilismo brasileiro (1997, embora o quadro só piorou desde então).

“Da morte, nunca tive medo. O que não quero é ficar aleijado. Disso sim, tenho um medo que me pelo.” (Quando foi perguntado se tinha medo da morte).

“Uma corrida não se ganha na primeira volta, mas se perde.” Dando um alerta aos novatos.

“Mansell é o maior idiota que já vi.” Sua opinião sobre o Nigel Mansell.

“Não costumo ler jornais e gasto meu tempo livre longe do automobilismo. Não sou como o Senna.”

“O Senna vive para o esporte e tira o máximo proveito do fato de ser considerado o grande herói das pistas. Às vezes fico pensando que não sabe fazer mais nada na vida.”

“Medo faz parte do jogo, mas o trânsito no Brasil é muito mais fatal do que um circuito de Fórmula-1.”

“Bom é viver um dia depois do outro. Isso basta como troféu. Ganhar não é tão importante.”

“Mansell é um babaca!”

“Quando descobria alguma coisa boa pro meu carro, eu só falava em cima da hora. Assim, não dava pro Mansell aproveitar.”

“Senna se arrisca demais; Prost é cheio de frescura; Rosberg muito confuso; e Arnoux, um panacão.”

Repórter — Você conquistou o mesmo números de títulos do Senna na Fórmula 1, no entanto fala-se muito no mito Senna e deixam de citar o Piquet, ainda vivo. O que você acha disso?
Piquet — Eu vejo isso como ótimo. É bom que eu dou menos entrevista, e o pessoal enche menos o meu saco.

Repórter – O dinheiro é importante?
Piquet – Lógico, muito importante.
Repórter – E as mulheres?
Piquet – Ajudam a gastá-lo.

Repórter – Piquet, acho que você não esperava por esta vitória certo?
Piquet – Realmente não, eu esperava que todos batessem na primeira curva.(Canadá 1991, sua ultima vitória, dada de bandeja pelo Mansell)

Repórter – Nelson você não acha que andando só na frente seu filho não vai aprender a ultrapassar?
Piquet – Não sei, mas acho que você anda aprendendo a falar asneira com o Galvão Bueno. (na época da F3 sulamericana)

Repórter: “Por que os cobertores nos pneus?”
NP: “Porque estão com frio!” (O Piquet foi o primeiro piloto a colocar os cobertores nos pneus para mantê-los aquecidos.)

Repórter: Na Fórmula 1 tem algum viado??
NP: Se tiver eu como!( Se ele fosse piloto atualmente…)

“Sabe porque o Senna corre com o numero 12? porque ele é só meio viado.”

“O Gilles [Villeneuve] usava um capacete com número menor, daí o capacete comprimia o seu cérebro, era só ele colocar e sair fazendo besteira.”

Repórter: “Atrás do que vocês estão sempre correndo?”
NP: “Da grana meu amigo, atrás da grana!”

“O Mansell tem as duas mulheres mais feias do mundo, a de verdade, e a estátua na casa dele.”Mansell falando sobre a esposa de Mansell e da estátua dela que o Mansell mandou colocar em sua casa.

Repórter: “Os pilotos fazem amizade?”
NP: “Sim”
Repórter: “Então por que você socou o Salazar?”
NP: “Pra ele aprender”
Repórter: “Por que não no Mansell?”
NP: “Porque esse não iria aprender nunca”

No primeiro teste de Piquet na F1…
Repórter: “Já sentou em um F1 antes?”
NP: “Sim, meu amigo Emerson tem um e eu sentei no banco dele uma vez pra tirar foto.”

“Na Lotus, o Ayrton ganhava menos da metade do que vivia dizendo. Eu sei disso porque li o contrato dele. ” Piquet em 88, após assinar com a Lotus.

“Meu erro foi não ter dedicado um tempo razoável para observar a Lotus antes de assinar o contrato.”

“Ele gosta de chuva, eu gosto de sol. Ele gosta de mulher feia, eu gosto de mulher bonita. Ganhei 3 títulos, ele perdeu 2.” – Nelson Piquet sobre Nigel Mansell

“Não ia incomodar um cara que estava em uma situação pior que a minha, então fui levando.” – Nelson Piquet sobre Frank Williams e a guerra interna com Mansell em 86 – Frank estava no hospital, paraplégico e era favorável a Nelson, ao contrário de Patrick Head.

“O cara roda, é bandeira amarela…. Passarinho cagou na pista, é bandeira amarela….”Sobre a F-Indy

“O meu sangue tem mais gasolina do que hemoglobina”

“Não sei quem inventou de chamar o Alain Prost de professor, se o Prost foi o cara que mais fez cagada na F-1”

“Vindo de mim, nenhum!”
Respondendo a um repórter, sobre se ele tinha algum conselho para os jovens talentos brasileiros

Eu falo o que penso, e me arrependo depois. Se fosse pensar muito, ia virar o Emerson (Fittipaldi), que só fala bem de todo mundo …”

“Tenho uma unha a menos para cortar…” Sobre um dos dedos de seu pé esquerdo, afetadíssimo no acidente de Indy 92

Read more: http://www.gogpseries.com/2010/11/frases-lendarias-de-nelson-piquet.html#ixzz3ABuMOCpI

    Gustavo Thomé · 13 de agosto de 2014 às 23:21

    tem uma estória do Piquet contada aqui em brasilia, da época que ele ainda era mecânico. Uma senhora deixou um opala pra arrumar na sexta-feira. Ele e comparsas pegaram o opala, trocaram o motor e foram pra BH pro piquet correr. Piquet ganhou a corrida, voltou tocando o opala, arrumaram o carro da patroa e segunda feira entregaram pra ela como se nada tivesse acontecido.
    Tem também a estória que ele conta que toda vez antes da corrida o Mansell ia ao banheiro. Numa das corridas ele foi ao banheiro e tirou o papel higiênico. Depois foi perguntar pro Mansel o que ele fazia no banheiro, Mansel disse que ia dar uma cagadinha, e ele pergunta: Sem papel? Aí confirmou que o cara era meio cagão.

    Um abraço

      Carlos Del Valle · 18 de agosto de 2014 às 15:06

      Minha nossa, que história essa do Opalão hein?! Quanto à do Mansell, essa era uma das desvantagens dele em comparação com o James Hunt. Se ele vomitasse em vez de cagar, não ficaria vulnerável à trollagem do Piquet huehuehue
      (sorry aos amigos mais sensíveis pela escatologia explícita)

Tiago Oliveira · 12 de agosto de 2014 às 15:27

Falar do Piquet sem falar de como o Mansell era bizarro é impossível. O cara deixava de correr num carro de Formula 1 pra ir JOGAR GOLF! Enquanto as pessoas normais vao fazer coisas ilicitas ou que deem mais prazer do que o trabalho (nem que seja encher a panca) o Mansell era o único cara do mundo que deixava de ir “trabalhar” pra ir fazer algo menos prazeroso do que seu ofício.

Vale lembrar que o Nakajima foi na temporada de 87 o cameraman do Grid. Ninguem queria correr com o peso extra da camera, e pra testar o que seria colocado em mais carros no ano seguinte, elegeram alguem que claramente nao seria prejudicado pelo lastro, escolheram o sparring do Senna, o estreante de 34 anos.

O Piquet virou um cara bem menosprezado, dificilmente voce ve ele numa lista de “Top 10”, e ve caras com exitos menores que os dele mais recorrentemente lembrado. Seguramente o menos valorizado de todos os tricampeoes. Talvez isso se deva ao estilo despojado dele e dele assumir claramente todas as “trapacas” que ele fazia, seja mentir na calibragem do pneu, seja roubando o papel higienico do Mansell, coisa que poucos tem peito pra assumir que fizeram. O Piquet sempre foi o primeiro a desmistificar a aura que se cria em volta do campeao, enquanto outros caras, como o Senna falavam de “Deus”, de “forcas misticas” “romper barreiras invisiveis” “tocar o limite”, o Piquet dizia “nao muda nada, no dia seguitne tem caganeira, dor de barriga do mesmo jeito”. O Bandeira Verde descreveu o Piquet muito bem no texto dele que o compara com o Senna; http://bandeiraverde.com.br/2010/05/05/por-que-o-povo-gosta-do-senna-e-detesta-o-piquet/

Acho que exatamente pelo Piquet ser como é, quem gosta dele simplesmente gosta mesmo sem quórum, e nao abre mao. Como o Rock´n Roll. “nao corro pelo Brasil, corro pela Brabham” e coisas do tipo nao sairiam da boa de ninguem que nao fosse idiota ou genial, assim como hastear a bandeira do vasco em interlagos, e o Sr Souto Maior nao tem nada de idiota. Meu piloto favorito.

Ronei Lopes · 12 de agosto de 2014 às 16:47

Piquet deu personalidade à Fórmula 1. Piloto sem papas na língua e sem travas no volante. É o meu piloto favorito!

Uma pergunta aos 4 cabeças de gasolina: qual rivalidade foi maior? Piquet x Mansell ou Senna x Prost?
Um abraço!

    Valesi · 12 de agosto de 2014 às 20:33

    Ronei, Piquet está no meu top 5 também.

    Quanto à rivalidade, ainda acho que Senna X Prost foi maior; sete títulos mundiais, decisões até a última corrida, dois excelentes pilotos. Piquet foi mais incomodado do que intimidado por Mansell, que não chegava nem ao pé com um dedo a menos do brasileiro.

    Grande abraço!

    Carlos Del Valle · 13 de agosto de 2014 às 1:17

    Acho que Senna e Prost foi uma rivalidade maior, mais equilibrada, mais amarga, e com direito a duas decisões de título mundial terminando em batidas entre os dois…

Pedro Rossi · 12 de agosto de 2014 às 20:21

Falando sobre o Piquet:
Tem uma entrevista de 1984 do Niki Lauda, falando sobre essa qualidade do Piquet.

http://www.youtube.com/watch?v=x0tUbyeam6g

Em 84, mesmo, questionado sobre quem era o melhor da F1 atualmente, Lauda falou que era o Piquet. Que ele dominava a Formula 1, e que era muito inteligente e muito rápido.

Sobre Mônaco.
Há uma entrevista com o Jô Soares, que o Jô pergunta sobre vomitar antes de correr, comentando sobre o James Hunt e o Filme Rush.
Piquet disse que nunca gostou muito de Mônaco, e que aquele ritmo de frear forte, fazer a curvar e acelerar, repetidas vezes, lhe fazia mal, e que lhe desagradava. E se eu não me engano, ele comenta que tirou o capacete e vomitou dentro dele, depois de uma volta rápida.
Algo assim.
Eis o link da entrevista, que é muito boa por sinal.

http://globotv.globo.com/rede-globo/programa-do-jo/v/jo-soares-entrevista-nelson-piquet/3230871/

Sobre Schumacher e o seu domínio no 90-2000.
Perguntaram a ele se o Schumacher que era o melhor, e se da geração dele(Piquet), Senna, Mansell, Prost e Piquet é que eram os pilotos medianos, e se Schumacher era, de fato, superior a todos eles.

Piquet fez aquele turn back of the pendulum, trazendo para a década de 80, e até mesmo a década de 70. Quando era tudo manual. Quando você não podia errar o tempo de uma marcha, por exemplo. Respondeu simplesmente que, além das dificuldades, você não tinha o ajuste do balanço de freio dentro do carro, e que isso era externo. Ele é quem trouxe isso. E que utilizou o cobertor para os pneus, algo que também não utilizavam.
Deixou a questão: Schumacher saberia de tudo isso? Ele participaria do desenvolvimento do carro, como muitos da década de 70 e 80 fizeram? Eles iria trazer inovações, como o Piquet fez? E sobre o desenvolvimento e o uso da suspensão ativa?

Bem, caras, assistam. Vou deixar o link, e para quem é fã do Piquet, a resposta vai ser ótima.

http://www.youtube.com/watch?v=XHcDshncw10

Um forte abraço.

Pedro Rossi · 12 de agosto de 2014 às 20:29

E sobre a Brabham, no documentário, A Era dos Campeões, Piquet disse que não queria sair da Brabham. Correr pela equipe era o sonho dele, e que um dos fatores que mais contavam, era o fato dele ser reconhecido.
Ele comparou “Ganha Nelson Piquet, com a Brabham” e que se fosse em outra equipe, como na Ferrari, seria “Ganha a Ferrari, com Gilles Villeneuve”.
O fato é que, como Ecclestone não quis mais investir na Brabham, estava de saco cheio da equipe e mais focado na F1 e em outras coisas, Piquet se viu tendo que sair. E equipe não estava crescendo, mais, e como todo bom garagista, ele foi parar na Williams, por ser amigo do Frankie.

Piquet era o cara! Ah, e fica aí o documentário Era dos Campeões:

http://www.youtube.com/watch?v=A0IRUDvpyAc

FORTE ABRAÇO!

    Valesi · 12 de agosto de 2014 às 20:38

    Pedro, é bem verdade isto também; Bernie e Gordon Murray já estavam começando a se desentender no final de 87, e a equipe dava os primeiros sinais do fim. Piquet, que era esperto, percebeu isso e resolveu pular fora.

    Ele mesmo declarou mais tarde a malandragem para sair sem provocar a fúria do anão Ecclestone: disse ao chefe que estava conversando com a McLaren. Bernie correu até Ron Dennis e o convenceu a não pagar mais do que a Brabham estava pagando ao piloto. Após conseguir a promessa de Dennis, voltou a conversar com Piquet e disse: – “Ok, você está livre para sair.” Piquet respondeu: -“Ótimo, estou indo prá Williams!”.

    Abraço!

      Pedro Rossi · 12 de agosto de 2014 às 20:44

      Também tem aquela, Valesi.
      Não sabemos se a Ferrari algum dia quis o Piquet. Mas pelas criticas fortes que o Piquet fazia, acho que nunca houve um interesse de ambas as partes.

      Piquet falou que na, Formula 3, ele era inimigo do Ron Dennis e que quando saiu da Brabham, já havia um rancor entre eles, e que ele sempre colocava empecilhos na hora de se sentar para discutir os termos do contrato.

      Então a Williams aconteceu!

William Luis Schafaschek · 14 de agosto de 2014 às 8:24

“Nelson Piquet veio por fora, veio de LAAAADUUUUU!” Grande Piquet, Grande Podcast, Grande produção!

    Carlos Del Valle · 18 de agosto de 2014 às 15:04

    Hahaha obrigado, gostei do “de LAAAADUUUUU” 😛

Pedro Rossi · 16 de agosto de 2014 às 17:27

O Nelson tem uma visão diferente dessa ultrapassagem em 86.
Ele disse que não foi por fora. Ele disse que Senna foi mais para o centro da pista, dando a ele o lado esquerdo. Então o Piquet usou o lado esquerdo, freou mais tarde, patinando com as quatro rodas. Senna recolheu um pouco o carro, senão eles iriam bater, e então o Piquet foi embora.

    Carlos Del Valle · 18 de agosto de 2014 às 15:03

    Essa é uma qualidade do Piquet, ele tem a tendência de tirar o hype de muitas coisas, inclusive sobre feitos dele mesmo

Pedro Rossi · 16 de agosto de 2014 às 22:53

Da época da TV Manchete, também. Nelson Piquet falando um pouco mais sobre o início da sua carreira.
Campeonatos Regionais.
Corrida de 24 com um Opala.
Ida para a Europa, e a sua viagem dentro do caminhão, só ele e o seu carro.
Pt 1
https://www.youtube.com/watch?v=DrVBU5b_yic
Pt 2
https://www.youtube.com/watch?v=o5NXwV_rxN4

Aproveitem mais dessa linda viva, caras.

Deixe seu Comentário