2005-world-champion-1024x435

Hoje é aniversário de Don Fernando Alonso, um dos fenômenos de todos os tempos da Fórmula 1. O Efemérides da Semana é muito pequeno (e o escriba muito amador) para falar deste monstro do automobilismo, mas não podemos deixar passar uma data destas.

Então, em vez de me jogar de cabeça sem rede de proteção (ou enfiar o carro de propósito no muro, sussurra aquela parte do meu cérebro que ainda vai me fazer ir preso ou internado) tentando – inutilmente, sabemos por antecipação – resumir a enorme carreira do asturiano em uma coluna semanal, no melhor estilo delegacia do interior resolvi “puxar a capivara” do meliante para vossa apreciação:

  • Fernando Alonso Díaz.
  • Nasceu em 29 de julho de 1981 (34 anos).
  • Mede 1,71m – mais ou menos a altura do crachá de Carlos Del Valle. Seu peso é de 68kg, o mesmo que a carteira do nosso host.
  • Natural de Oviedo, Asturias, Espanha.
  • Endereço atual: após morar na Suíça (mudou-se para Lugano quando foi contratado pela Ferrari, para ficar próximo à fábrica – não foi morar na Itália pois a legislação tributária suíça é muito favorável), desde 2010 mora novamente em Oviedo, a fim de ficar em maior contato com a família e amigos – o que, estima-se, já lhe custou cerca de 50 milhões de libras em taxas do governo.
  • Seu pai, José Luis, é mecânico em uma fábrica de explosivos – e piloto amador de kart. Sua mãe Ana é vendedora em loja de departamentos. Tem uma irmã cinco anos mais velha, Lorena, que seguiu carreira na medicina.
  • Apelido: El Nano (algo comum nas Asturias, podendo ser traduzido como “Nando”).
  • Segundo grau completo – abandonou os estudos em 2000, logo antes de entrar na Fórmula 1 (não façam isto, crianças – eu digo abandonar o estudo. Podem entrar na F1 à vontade).
raquel

Raquel, a esposa

  • Casou-se com Raquel del Rosario, cantora da famosa banda El Sueño de Morfeo, em 2006; divorciaram-se em 2011.

 

 

 

  • No ano seguinte começou a namorar a modelo Russa Dasha Kapustina.

    Dasha, a russa

    Dasha, a russa

 

 

 

 

  • Desde o início de 2015, é visto com a jornalista Lara, a atual.
A espanhola Lara Alvarez.

A espanhola Lara Alvarez.

 

 

 

 

  • Torcedor do Real Oviedo e do Real Madrid.
A tatuagem nas costas do piloto Fernando Alonso

A tatuagem nas costas do piloto Fernando Alonso

  • Tem uma tatuagem de um velho samurai nas costas; segundo o piloto, a inspiração veio do livro Hagakure, escrito no século 18, e simboliza força, inteligência e perseverança.
  • Seu capacete tem o design e as cores da bandeira da Espanha contornada com os tons de azul das Astúrias; na parte de trás, dois ases (espadas e copas), simbolizando seus dois títulos mundiais.

    1983-inicios-1024x435

    Alonsinho, no kart. As cores me lembram de alguma coisa…

  • Kart desde os 03 anos de idade – seu pai era empresário, patrocinador e mecânico; construiu o kart para Lorena, porém com o desinteresse da filha no automobilismo, resolveu apostar as fichas no mais novo. Apesar da origem humilde, seus bons resultados sempre atraíram patrocinadores.
  • Tricampeão espanhol de kart entre 1994 e 1997 (campeão mundial em 1996).1998
  • Primeiro teste na F1: outubro de 1998, no circuito de Albacete,convidado por Adrián Campos e pela Minardi. Alonso fez os mesmos tempos que o piloto Marc Gené, e Campos assinou um contrato com o compatriota para que corresse o Euro Open MoviStar by Nissan de 1999. Na sua segunda corrida, também em Albacete, venceu pela primeira vez, e ao final do campeonato foi campeão, um ponto à frente do segundo colocado.
  • Em 2000 correu na Fórmula 3000, pela Astromega; só pontuou pela primeira vez na sétima etapa, mas com um segundo lugar e uma vitória nas duas últimas corridas, terminou o campeonato em 4º lugar, atrás de Bruno Junqueira, Nicolas Minassian e Mark Webber.

    2001-minardi

    Ano de estreia

  • Estreia na F1 em 2001, na Minardi, ao lado de Tarso Marques.
  • Em 2002, graças a seus bons resultados e a seu empresário, Flavio Briatore, tornou-se piloto de testes da Renault.
  • Efetivado na equipe em 2003, no lugar de Jenson Button (hahahaha) e tendo Jarno Trulli como companheiro de equipe, ao largar da pole na Malásia e vencer o GP da Hungria conquistou o recorde de piloto mais jovem a obter estes resultados até o grande prêmio da Itália de 2008, quando foi superado por Vettel. Alonso terminou o campeonato de 2003 em 6º lugar, com 55 pontos e 4 pódios.

 

Alonso_usgp_2004_pits

2004. Sério. Bandana, em 2004.

  • 2004 foi um ano de consolidação na categoria, sem nenhuma vitória, mas batendo constantemente os caras do box ao lado, primeiro Trulli e, nas três últimas corridas, Jacques Villeneuve. Ao final do ano, tinha 59 pontos e era o quarto colocado entre os pilotos.

 

 

 

  • Primeiro campeonato mundial em 25/09/2005, em Interlagos,
    2005-homenaje

    Alonsomania

    com 24 anos e 59 dias, tornando-se o mais jovem campeão da categoria, posto que até então era de Emerson Fittipaldi. Ao lado de Giancarlo Fisichella, em 19 corridas Fernando teve 7 vitórias e outros 8 pódios, fazendo um total de 133 pontos, 21 a mais que o vice-campeão, Raikkonen.

2006-world-champion-1024x435

Bicampeão

  • Em 2006, o bicampeonato. Alonso, repetindo a parceria com Fisichella, chegou em primeiro ou segundo lugar nas nove primeiras corridas do campeonato. Apesar de Schumacher ter tirado a diferença na segunda metade do campeonato, Fernando conseguiu manter a liderança e novamente no Brasil conquistou seu segundo título mundial, com 07 vitórias e 7 segundos lugares, batendo o alemão por 134 a 121.
  • Contratado pela McLaren em 2007, disputou tão ferrenhamente o título com seu companheiro de equipe Lewis
    2007-mclaren

    Em 2007, o tricampeonato escapou por pouco

    Hamilton que o campeonato acabou caindo no colo de Kimi Raikkonen, da Ferrari, que fez 110 pontos ao todo; Hamilton e Alonso terminaram com 109, o inglês à frente nos critérios de desempate. Foi o ano do caso de espionagem entre McLaren e Ferrari, e o asturiano trocou uma pena quase certa pela colaboração com as investigações, o que azedou ainda mais sua relação com a equipe inglesa.

  • De volta à Renault em 2008 e 2009, as polêmicas continuaram; com Nelson Piquet Jr. como companheiro de equipe, Alonso só 2008-renaultconseguiu sua primeira vitória (e pódio) do ano na 15ª etapa, num controvertido GP de Singapura que posteriormente ficou marcado como manipulado, pois Nelsinho teria batido de forma proposital para forçar a entrada do safety car e assim beneficiar o espanhol; Alonso ainda venceria no Japão em 2008, mas terminaria apenas na quinta posição no campeonato, com 61 pontos. O ano de 2009 foi ainda pior, e com um único pódio (3º lugar, ironicamente em Singapura), Alonso foi apenas o 9º colocado, juntando somente 26 pontos na temporada.

2010-subcampeon-ferrari

  • No seu décimo ano na categoria, juntou-se à Ferrari onde permaneceu por cinco anos, sendo vice-campeão mundial por três vezes (2010, 2012 e 2013); teve sempre como escudeiro Felipe Massa, que submeteu-se ao domínio do espanhol, inclusive ao já famoso “Fernando is faster than you”.

    2012-subcampeon-ferrari

    Tempos de Ferrari

  • No GP do Japão de 2013, chegou em quarto lugar e tornou-se então o piloto com mais pontos na história, 1571. Atualmente, após o GP da Hungria de 2015, mantém a primeira colocação, rigorosamente empatado com Sebastian Vettel, ambos com 1778 pontos.
2015-season-1024x435

De volta à McLaren

  • Atualmente Alonso amarga a recém reatada parceria entre McLaren e Honda, que até agora só foi benéfica para a musculatura das pernas do espanhol, que dá graças quando só precisa voltar andando para os boxes – nos piores dias, tem que empurrar o carro também.

    _84487546_fernando_alonso_push

    E esta foi a maior velocidade que este carro atingiu até o momento.

  • Alonso é indubitavelmente um piloto diferenciado (sendo o único espanhol a vencer uma corrida de fórmula 1) e aos 34 anos espera entrar no panteão dos tricampeões e, de quebra, levar mais um recorde com seu nome: o de maior intervalo entre dois títulos consecutivos, que hoje pertence a Niki Lauda, que demorou 07 anos entre os títulos de 77 e 84. Se conseguir ser campeão em 2016 (porque convenhamos nem a mãe dele acredita mais em 2015), Alonso colocará uma década entre o bi e o tricampeonato.

—-

FORA DO AUTÓDROMO

O dia 29 de julho tem várias efemérides interessantes, que mereceriam estar aqui (nascimento da Princesa Isabel, de Benito Mussolini, Dia Internacional do Tigre e Dia Nacional do Hino da Romênia, por exemplo), mas o texto acima ficou longo e tanto o chefe quanto nosso colega Joshué Fusinato iriam me encher o saco se eu não contar que é aniversário de um tal de Geddy Lee, que tinha uma bandinha mais ou menos uns tempos atrás.

Por isso, fiquem com The Spirit of Radio, do álbum Permanent Waves, de 1980:


Valesi

Velho o suficiente para reclamar com propriedade, não tenho esperanças de que alguém me leve a sério. Ferrarista e fã de Jack Daniels, não necessariamente nessa ordem. Pago no máximo 40 pratas por uma foto do Button cometendo um crime.

22 comentários

Felipe · 29 de julho de 2015 às 2:08

q decadência do alonso antes ele dirigia os melhores carros da f1 agora ele tem q empurrar o carro
alguem pode me dizer porque ele saio da ferrari?

    Valesi · 30 de julho de 2015 às 21:56

    Cansou de perder da Red Bull e depois da Mercedes, e foi seduzido pelo canto de sereia da McLaren/Honda.

    Além disso, a Ferrari já tinha acertado com o Vettel, e Alonso não se dá bem com outro piloto do mesmo nível na mesma equipe.

Joshué Fusinato · 29 de julho de 2015 às 8:25

Geddy Lee, com o meu disco preferido ainda? Eu não sou digno!

Valesi, fantástico!

Cristiano Seixas · 29 de julho de 2015 às 8:34

Se ele se preocupar em pilotar , deixando um pouco de lado a politicagem, tem talento para encarar qualquer um.
Torço para a McLaren acertar a mão , pois apesar de não morrer de amores pelo espanhol, já imaginaram um campeonato ferrenhamente disputado por ele, Vettel ( Ferrari) e Hamilton (Mercedes) ?

    Valesi · 30 de julho de 2015 às 21:58

    Imagino isso quase todos os dias, Cristiano. Teríamos 86 all over again.

    Sou até capaz de aceitar uma melhora da McLaren prá ver isto acontecer.

rubens.exe (@rubensGPnetto) · 29 de julho de 2015 às 11:07

O mais impressionante é que o Valesi puxou a capivara do Alonso sem usar o CPF do individuo!!!

Excelente post, como sempre Valesi, efemérides da semana estão ficando a cada semana mais refinada e de uma qualidade impar!7!

Um efusivo abraço!!!

    Valesi · 30 de julho de 2015 às 21:59

    É que eu conheço o delegado, Rubens!

    Agora, quando você fala em ímpar… 1 é ímpar, né?

    Abraço!

rafael · 29 de julho de 2015 às 12:52

Parece que o Lauda ainda vai manter o record por alguns anos.
Otimo post Valesi
Obrigado

    Valesi · 30 de julho de 2015 às 22:00

    Se o Alonso ficar na McLaren, torço para isso, Rafael.

Cristiano Estolano · 29 de julho de 2015 às 21:36

Parabéns Valesi… Parabéns Alonso, don Choronso, mas realmente um piloto fantástico!

    Valesi · 30 de julho de 2015 às 22:01

    Sim, um dos tops. Como disse seu xará aí em cima, se ele parar um pouco de reclamar e se preocupar com política, tem tudo para fincar de vez o nome na galeria dos fora de série.

Jordan Bandeira · 30 de julho de 2015 às 10:50

(Uma volta atrás) Não sou fã de Alonso mas aprecio seu talento. Ter derrotado Michael Schumacher definitivamente não é pra qualquer um.

Me perdoem os fãs de Pink Floyd, mas esse trio pra mim é a melhor banda de prog rock da história.

Congratulações pela efeméride, Valesi.

    Valesi · 30 de julho de 2015 às 22:03

    Pô, Jordan, sou Floydmaníaco de carteirinha!!! Gosto até do Ummagumma!!!

    Sei lá, acho que você vai ter que pagar um drive trought depois dessa.

Thiago Lemos · 30 de julho de 2015 às 11:51

Alonso e Rush, piloto favorito e banda favorita!!! É muita fodisse pra um post só!

Infelizmente, só tem dado azar de não estar no carro certo, mas é muito maior que os seus dois titulos.

Aposentou o Schumacher. Sem mais.

    Valesi · 30 de julho de 2015 às 22:05

    Concordo plenamente, Thiago. Alonso certamente deveria entrar no panteão dos tricampeões.

Rafael Amico · 30 de julho de 2015 às 15:20

AUHUAHUHAUHAUHUHAUHA

O melhor trecho, gargalhei aqui no trabalho:

“Atualmente Alonso amarga a recém reatada parceria entre McLaren e Honda, que até agora só foi benéfica para a musculatura das pernas do espanhol, que dá graças quando só precisa voltar andando para os boxes – nos piores dias, tem que empurrar o carro também.”

Só o Valesi, sou seu fã, meu caro!

    Valesi · 30 de julho de 2015 às 22:06

    Que é isso, não é prá tanto, Amico! Valeu!!

Joshué Fusinato · 30 de julho de 2015 às 16:46

Me ocorreu um detalhe agora: eu tenho a altura do crachá do Del Valle!

    Carlos Del Valle · 30 de julho de 2015 às 18:12

    Não força a barra… Só tenho meus humildes 1,78 e daqui a pouco vão pensar que sou o Michael Jordan

      Valesi · 30 de julho de 2015 às 22:07

      Legal que da carteira ninguém falou, né? A fama de rico está consolidada.

Neto Sampaio (@NettoSampaio) · 18 de agosto de 2015 às 20:14

Belíssimo post, mas no seu último ano de Ferrari, o companheiro de equipe foi o Raikkonen e não o Massa, né?

Deixe seu Comentário