Olá amigos petrolheads e headbangers! Seguimos com a safra “Power Metal” na nossa coluna semanal.  Depois de dois grandes expoentes, chegamos à banda que, apesar da curta carreira, é considerada como aquela que realmente ajudou a criar o movimento Power Metal: o grupo alemão Helloween. Notem como o “metal melódico” é um gênero que teve uma forte cena fora dos EUA. Até agora, tivemos duas bandas alemãs e uma brasileira na nossa lista de elfos e duendes metálicos.

O nome da banda é um trocadilho que às vezes passa despercebido por nós, falantes não-nativos da língua inglesa: é uma fusão do nome do famoso Dia das Bruxas (“Halloween”, com “A”) e a palavra inglesa “Hell”, que eu acho que todo mundo sabe o que significa. Mas agora vou pegar vocês na curva: a cerveja clara tipo lager feita em Munique recebe o nome de “Helles”, que significa ” “de cor clara”. Esse nome é frequentemente encurtado para “Hell”. Assim como a lager clara de Pilsen se chama “Pilsner”, a lager clara de Munique se chama “Hell”. E agora? Nossos amigos alemães estavam se referindo ao Inferno ou à cerveja? Não sei a resposta. Recomendo que todos escrevamos emails a eles perguntando!

Eu disse que o Helloween teve uma carreira curta porque a formação “clássica” só gravou dois discos, contando com o guitarrista Kai Hansen e o vocalista Michael Kiske. Além de guitarrista, Kai Hansen era o principal compositor da banda, mas abandonou o grupo de maneira súbita em 1989, e o Helloween nunca mais foi o mesmo. O vocalista Kiske foi demitido em 1993 após dois álbuns fracos, e o que ficou para a posteridade mesmo foram os álbuns clássicos de 1987 e 1988: Keeper of the Seven Keys part 1 e part 2. Aquela música ali em cima se chama “Future World” e integra o Part 1, e essa aí embaixo é “I Want Out”, que é do Part 2 e fez bastante sucesso nos programas de metal da MTV norte-americana no final dos anos 80.

www.youtube.com/watch?v=FjV8SHjHvHk

Semana que vem, vamos para o capítulo final desta melódica safra de sons metálicos. Um abração pra todo mundo e até a próxima Terça Metal!

Link para: Todos os artigos da série Terça Metal

GASOLINA-STORE-BANNER-JPEG

Grupo do Podcast F1 Brasil – Roda com Roda no Facebook

Curta nossa página no Facebook

Confira nossas camisetas de F1 na Gasolina Store

Siga-nos no Twitter e no Instagram

Estamos também na TuneIn Radio e no Stitcher, além do iTunes

Música podsafe / Creative Commons: Brother Love e American Heartbreak

Feed do Podcast F1 Brasil: http://feeds.feedburner.com/PodcastF1BrasilPodcast

 


Carlos Del Valle

Podcaster. Imerso em Fórmula 1. Nada mais lógico do que um podcast sobre Fórmula 1.

5 comentários

Joshué Fusinato · 18 de agosto de 2015 às 9:27

Se o Helloween tivesse acabado depois desses dois discos, poderia se considerar uma carreira extremamente bem sucedida. Mas ao mesmo tempo, não teríamo o Time of the oath, estreia do Andi Derris nos vocais, que tem excelentes músicas!

Cristiano · 19 de agosto de 2015 às 17:40

Permita me discordar!!!!! Os dois Keepers são realmentes insuperáveis, mas não se pode desconsiderar excelentes álbuns da era Andy Deris….Além do citado pelo Josué, o de estréia dele Masters of Ring é impecável, no fim acabamos sempre ganhando! Abraços!

Diego Ricarte · 20 de agosto de 2015 às 12:56

Fusinato se equivocou em dizer que o primeiro álbum do Deris foi Time of the Oath. O primeiro com Andi Deris foi Master of the Ring.
Mas tanto o Master… e o Time… são álbuns sensacionais.
Mas sem duvidas, os Keepers 1 e 2 são clássicos.

Judson Melo · 20 de agosto de 2015 às 16:42

Pra mim, o Helloween é um daqueles casos raros de banda que troca de vocalista e fica ainda melhor (caso do Iron Maiden quando recebeu o Bruce Dickinson).
Gosto do Michael Kiske no vocal e nadinha do Kai Hansen cantando. hehe. Minha época favorita da banda é com Andi Deris, sem dúvida. Sendo o melhor álbum o Master of the Rings, logo o de estréia do Andi…depois do Better than Raw a banda meio que entrou em declínio…uma pena.

André Luiz · 24 de agosto de 2015 às 0:47

Better than Raw é muito bom também,

Deixe seu Comentário